Ambiental

Gestão de Emissões

Em 2020, a brMalls, em parceria com a Draxos Consultoria e Gestão Ambiental Ltda, produziu o Inventário de Emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) referente ao ano de 2019. O inventário é utilizado anualmente para participação no ICO2 e desenvolvido de acordo com as especificações do Programa Brasileiro GHG Protocol, que considera a contabilização, quantificação e publicação de inventários corporativos de emissões de GEE. A Draxos segue as diretrizes do protocolo de referência desenvolvido pelo World Resources Institute (WRI) e pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) — The Greenhouse Gases Protocol (WRI/WBCSD): A Corporate Accounting and Reporting Standard — revised edition abril 2004) e a norma internacional ISO 14064-1.

Vale destacar que a metodologia acima mencionada utiliza o princípio de corresponsabilidade, ou seja, são consideradas para brMalls as emissões de GEEs emitidos direta e indiretamente pelas atividades da empresa. Enquanto as emissões diretas são provenientes de fontes que pertencem ou são controladas pela brMalls, as indiretas são uma consequência das atividades da companhia, porém provenientes de fontes que não pertencem ou não são controladas pela empresa como, por exemplo, o transporte de resíduos ou geração de energia elétrica pela composição da malha brasileira de energia. Dessa forma, as emissões são divididas em 3 escopos, que serão detalhados a seguir.

Escopo I

O escopo I refere-se às emissões diretas de Gases de Efeito Estufa (GEEs) oriundos das atividades gerenciadas pela empresa. O total de emissões de escopo I foi de 7.021 tCO2e. Para a companhia, a maior fonte de emissões em 2019 veio da categoria de emissões fugitivas, principalmente gases refrigerantes de ar-condicionado (60%). Em segundo lugar, que representa 40% do escopo I, está presente a combustão estacionária direta, que se refere à queima de combustíveis por geradores.

Escopo II

O escopo II refere-se às emissões indiretas de GEEs provenientes do fornecimento de energia elétrica pela malha brasileira. O total de emissões do escopo II foi de 17.952 tCO2e

Escopo III

O escopo III refere-se às emissões indiretas de GEEs provenientes das atividades gerenciadas por terceiros. O total de emissões de escopo III foi de 13.575 tCO2e. Para a brMalls, a categoria que mais elevou as emissões no escopo III foi a geração de resíduos sólidos (89%), em particular resíduos alimentares, que são geradores de GEEs durante o processo de decomposição nos aterros sanitários.

No ano de 2019, o total de emissões da brMalls considerando sua participação nos 26 shoppings administrados foi de 38.547 tCO2e. O escopo I representou 18% das emissões, o escopo II, 47% e o escopo III, 35% do total das emissões.

Com objetivo de reduzir as emissões, a brMalls busca melhores eficiências energéticas operacionais como, por exemplo, substituição das lâmpadas convencionais por lâmpadas de LED e automação da CAG.

Emissões fora do escopo

Com a visível mudança de comportamento dos consumidores, que estão mais atentos aos meios de transporte menos poluentes e mais econômicos, os shoppings começaram a ofertar vagas para carros elétricos com estrutura para os mesmos serem recarregados. Apesar de não estar relacionado com as emissões dos escopos I, II e III dos shoppings, em 2019 7 shoppings ofereciam vagas para carros elétricos: Plaza Niterói, Villa-Lobos, Jardim Sul, Shopping Estação Cuiabá, Estação Curitiba, Norte Shopping e Independência Shopping.

Gestão de Energia

Com projetos que aperfeiçoam continuamente a eficiência energética, a brMalls segue comprometida com as melhores práticas ambientais nessa área. Em 2019, os shoppings da brMalls consumiram um total de 345.408 MWh de energia, o que representa uma redução de 9% comparado ao ano anterior e de 19% comparado à 2015. Considerando o portfólio ex vendas, a redução foi de 7% versus 2015, mas houve um incremento de 7% comparado à 2018 devido à inauguração do Estação Cuiabá.

Economia acumulada de R$30 MM

De 2015 a 2019

9% de economia

versus 2018

-19% de consumo

versus 2015

Iluminação Natural

Uma alternativa utilizada pelos shoppings para reduzir a necessidade de iluminação artificial e aumentar a iluminação natural é a presença da claraboia. Em 2019, 21 shoppings possuíam claraboias.

A claraboia é um artifício arquitetônico que une estética e funcionalidade, pois além do seu papel decorativo, também funciona como fornecedora de luz natural e, em alguns casos, permite a otimização da circulação do ar. Devido a essas características, a existência de claraboias nos shoppings permite uma grande economia de energia, gerando impacto positivo não só financeiramente como também na redução das emissões de GEEs.

Shopping Estação

Campinas Shopping

Iluminação LED

A troca da iluminação convencional dos shoppings por iluminação de LED vem sendo realizada nos nossos shoppings desde 2014. Até agora, 25 dos nossos shoppings já são 100% LED, gerando um maior aproveitamento da energia e reduzindo os danos causados ao meio ambiente. A instalação de LED possibilitou a melhora da percepção de segurança nos shoppings, já que proporciona maior visibilidade nos ambientes, possibilitou também a redução na geração de resíduos, inclusive tóxicos, uma vez que a vida útil da luminária LED é muito superior à convencional e o LED não possui elementos tóxicos em sua composição, e colaborou para a redução na emissão de GEEs. Além disso, houve a padronização da qualidade luminotécnica nas áreas comuns, ganho de escala na aquisição de lâmpadas e luminárias de mesmo modelo e eliminação de problemas crônicos de iluminação.

Amazonas Shopping

Automação da CAG

A automação predial facilita o controle do funcionamento dos equipamentos do shopping e garante uma maior eficiência energética, já que reduz o consumo de recursos, principalmente de energia. Nos shoppings, o sistema de ar condicionado representa cerca de 40% do consumo total de energia do ativo, portanto, toda otimização desse sistema é muito relevante.Em 2020, 15 shoppings já possuíam sistemas de automação da CAG. Essa automação, além de gerar redução de consumo e permitir um maior conforto térmico, possibilita uma operação mais eficiente, diminuindo a manutenção e eventuais problemas no equipamento.

Gestão de Água

Com projetos que aperfeiçoam continuamente a eficiência da água, a brMalls segue comprometida com as melhores práticas ambientais nessa área. Em 2019, os shoppings da brMalls consumiram um total de 2.978.234 m³ de água, o que representa uma redução de 3,5% comparado a 2015 e de 4% comparado a 2018. Excluindo os shoppings vendidos, houve um aumento de 7,8% versus 2015 e de 6,8% versus 2018 devido à inauguração do shopping Estação Cuiabá e ao incremento de operações voltadas para gastronomia e aumento de paisagismo nos shoppings.

No viés financeiro, aplicando a tarifa praticada em 2019 sobre o consumo dos 4 últimos anos, verifica-se uma economia acumulada de 2,5 milhões de reais considerando o portfólio ex vendas e ex Estação Cuiabá. O que demonstra uma eficiência na gestão hídrica com o aumento do uso de fontes alternativas como poço artesiano e sistema de reuso.

Economia acumulada de R$2,5 MM

De 2015 a 2019

4% de economia

versus 2018

-3,5% consumo

versus 2015

Redução de Consumo

Para reduzir o consumo de água, cada shopping procura as melhores práticas a fim de encontrar o equilíbrio entre a qualidade e a mitigação de desperdícios. As frentes para redução de consumo são bastante variadas, pois depende da realidade de cada ativo, mas algumas ações são populares entre eles, como por exemplo a gestão eficiente do consumo. Ter um controle de consumo diário efetivo com análise crítica das informações é a primeira ação capaz de alcançar resultados relevantes na redução do consumo de água. Para que esse acompanhamento seja efetivo, alguns shoppings estão em um movimento de acréscimo de pontos de medição (hidrômetros), permitindo a rápida identificação de vazamentos e uma melhor estratificação do consumo. Outra ação é a instalação de arejadores nas torneiras e de redutores de vazão nos vasos sanitários e chuveiros.

Reuso

O sistema de reuso visa substituir as fontes convencionais de água, contribuindo para uma operação mais sustentável e economicamente mais eficiente. Seu uso em shoppings normalmente se estende às bacias sanitárias, jardinagem e água de condensação da CAG, devendo seguir o tratamento adequado para cada situação específica que, usualmente, é composto pelas etapas de separação de sólidos e líquidos, floculação e finalizada com tratamento químico.

Os shoppings com sistema de reuso são Mooca, Catuaí Maringá, Estação Cuiabá, Norte Shopping e Piracicaba.

Captaçao de Água da Chuva

A captação da água da chuva é uma ação que permite a redução no consumo de água vinda das concessionárias. A água das chuvas pode ser aproveitada por exemplo na jardinagem, no processo de condensação que ocorre nas CAGs e nos sanitários. Em 2019, o Catuaí Maringá, o Catuaí Londrina e o Estação Cuiabá já possuíam esse sistema.

Gestão de Resíduos

Os shoppings são empreendimentos de grande porte e de alta circulação de pessoas, possuindo um grande potencial de geração de resíduos. Nesse cenário, a separação e a destinação correta dos resíduos têm papel relevante para o meio ambiente e para a sociedade na qual o shopping está inserido.

Em 2019, 25 shoppings possuíam informações sobre os resíduos sólidos. Os shoppings considerados descartaram cada um em média 88 toneladas de lixo por mês, ou seja, mais de 26 mil toneladas de resíduos no ano. Um dos resíduos mais representativos é o papelão, reciclado por 96% dos shoppings.

Plaza Verde

Desde 2016, o Plaza Niterói possui um projeto de gestão de resíduos chamado Plaza Verde. A gestão de resíduos do shopping é realizada por uma gerenciadora.

No ano de 2018, foi realizada a contratação de 10 ex catadores de lixo dedicados ao projeto sendo oferecido regime CLT e todos os benefícios dos demais colaboradores terceirizados do Plaza Niterói.

Esses colaboradores são responsáveis pela separação dos resíduos, limpeza, organização do processo e transporte dos materiais recicláveis par a área de armazenamento temporário.

Na área operacional, o lixo é segregado em recicláveis, orgânicos e rejeito - os orgânicos são direcionados para a composteira e o rejeito destinado ao aterro sanitário.

Os resíduos recicláveis são separados em papéis (mistos, branco, folder, revista), plásticos (filme, grosso, PET, colorido), sucata ferrosa, alumínio e vidros.

O shopping possui uma composteira onde são colocados os resíduos orgânicos gerados. Esta tem capacidade de transformar em adubo, em um período de 24 horas, 250kg de material orgânico.

Enquanto uma parte do adubo gerado pela composteira é doado para a Secretaria de Conservação de Niterói, para ser usado no projeto Verde Notáveis, reflorestando a cidade, a outra é destinada ao Grupamento Marítimo dos Bombeiros de Itaipu, para uso na horta do quartel.

Além disso, todo resíduo gerado no Teatro Municipal de Niterói é doado ao projeto do shopping para que este seja tratado e destinado de maneira correta, sendo mais uma forma de fomentar a preocupação com a sustentabilidade na cidade.

Até o final de 2020, 170 toneladas de resíduos a menos foram destinados par os aterros e 158 toneladas de lixo foram reciclados.